Muzambinho, 23 de maio de 2024

Campus Muzambinho recebe cerca de 20 mil testes de COVID-19

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Vinte mil testes de COVID-19 serão realizados gratuitamente em voluntários de toda comunidade acadêmica do Campus Muzambinho e de outros campi do IFSULDEMINAS. A iniciativa será viabilizada através da parceria entre o Campus e o professor Dr. Rodolfo de Paula Vieira, afiliado da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP – São José dos Campos e professor titular da Universidade Brasil – SP.

Segundo o Diretor-Geral do Campus Muzambinho, Renato Aparecido de Souza, a testagem será realizada com a finalidade de promover a saúde da comunidade escolar e também com o objetivo de produzir dados e informações de interesse acadêmico que serão compartilhados com a UNIFESP para viabilizar o desenvolvimento de pesquisas científicas.

De acordo com o Dr. Rodolfo Vieira, este tipo de parceria é extremamente importante porque, “especialmente no Brasil, ninguém faz ciência sozinho devido às limitações e dificuldades que muitos de nós temos, principalmente financeiras. Então é muito importante este tipo de projeto em colaboração, primeiro porque, do ponto de vista científico, ele descentraliza a pesquisa do Estado de São Paulo e, depois, porque ele agrega muito valor científico por ser um estudo multicêntrico, em várias outras regiões”.

A parceria
A parceria se deu através do contato entre o Diretor-geral, Renato Souza e o professor Dr. Rodolfo Vieira. Segundo o Diretor, o Dr. Rodolfo é um amigo de longa data e juntos eles têm trabalhado em pesquisas sobre COVID-19 e seus agravantes, assim como no impacto da doença no contexto escolar. “A testagem rápida de estudantes e servidores é mais uma medida de segurança que contribui com o retorno gradual à presencialidade. Quando o Prof. Rodolfo confirmou a parceria com o laboratório internacional que produz os testes rápidos para covid-19, utilizados em toda europa e aprovados pelo FDA, nos foram cedidos 20 mil testes”.

Os Kits de “teste rápido” para COVID-19 foram doados com o objetivo de garantir ambiente acadêmico adequado e propício à preservação da saúde da comunidade escolar, com atenção especial para a pandemia da COVID-19.

A aplicação dos testes será de responsabilidade do Campus Muzambinho e será criado um inquérito epidemiológico da comunidade escolar através de análises estatísticas. Os dados, cedidos ao Dr. Rodolfo Vieira, deverão ser utilizados como forma de compreender a dinâmica da pandemia em uma perspectiva exclusivamente científica.

O Dr. Rodolfo de Paula Vieira ainda explicou que, além das análises dos testes, serão gerados dados através da aplicação de um questionário respondido por todos voluntários que realizarem o teste. ” Neste questionário nós perguntaremos se a pessoa já teve COVID, qual a forma da doença que ela desenvolveu (assintomática, leve, moderada, grave ou crítica), se ela já tomou vacina, qual a data da vacina e se já tomou a primeira e a segunda dose ou só a primeira dose”.

Segundo o Dr. Rodolfo Vieira, também serão feitas perguntas sobre a pratica de atividade física regular (tipo de atividade, há quanto tempo, qual frequência, dentre outras perguntas. “Porque um dos objetivos é avaliarmos se a prática regular de atividades físicas tem uma resposta melhor para vacina ou até para a própria produção de anticorpos de quem não foi vacinado mas teve contato com a doença”

Para o Diretor Renato, essa parceria é muito importante já que “a testagem rápida é mais uma estratégia de enfrentamento a pandemia e se somada a todas as demais já instituídas pelo IFSULDEMINAS, demonstra todo o engajamento institucional para salvaguardar os melhores interesses da comunidade escolar, neste caso, a saúde equilibrada com uma oferta de educação de qualidade. Uma pesquisa multicêntrica com parceiros notadamente reconhecidos pela comunidade científica fortalece ainda mais o valor público do Instituto Federal”.

A aplicação dos testes
Os cerca 20 mil kits de teste rápido serão do tipo sorológico para detecção de IgM e IgG, realizados pela coleta de uma gota de sangue na ponta do dedo, com resultados em até 10 minutos. Este tipo de teste indica se a pessoa já foi infectada e se ainda tem produção de anticorpos contra o coronavírus.

Segundo o site da Fiocruz  os exames sorológicos mais comuns são “denominados IgG (imunoglobulina G) e IgM (imunoglobulina M). Ou seja, IgM positivo significa que a pessoa possui anticorpos do tipo imunoglobulina M, e daí se deduz que ela já foi exposta e está na fase ativa da doença havendo a possibilidade do microrganismo estar circulando no paciente naquele momento. Um resultado positivo para IgG pode indicar que a pessoa está na fase crônica e/ou convalescente ou já teve contato com a doença em algum momento da vida e, portanto, para algumas doenças, esses anticorpos funcionam como uma proteção em caso de novo contato com o microrganismo”.

Testar vários integrantes da comunicade facilitará o entendimento sobre o estágio epidemiológico da doença e embasará, com evidências científicas, as decisões institucionais.

Os protocolos de testagem e de cadastros de voluntários ainda serão determinados pela Instituição e devidamente informados através do site oficial do Campus.

(ASCOM)

Notícias Recentes