Muzambinho, 22 de maio de 2024

Cássio Soares apresenta PL declarando atividades físicas como essencial em Minas

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

O deputado estadual Cássio Soares, líder do Bloco Minas são Muitas, apresentou à Assembleia Legislativa de Minas Gerais o Projeto de Lei 2.826/2021, que reconhece a prática de atividade física e do exercício físico como essenciais para a população mineira, seja em espaços públicos ou estabelecimentos privados.

Segundo o deputado, foi em reconhecimento às atividades e os estabelecimentos do segmento, que o PL foi apresentado na tarde da quarta-feira (16/06), contando que sejam seguidas todas as medidas orientadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelos comitês municipais de enfrentamento à COVID-19.

“Para mim, a atividade física é essencial, principalmente neste período de pandemia. Ela melhora o condicionamento físico, a imunidade e até mesmo o bem-estar. Por isso, apresentei esse Projeto de Lei à Assembleia de Minas que permite a prática de exercícios físicos em Minas Gerais, mas, é claro, tomando todos os cuidados necessários que garantem a saúde e a proteção da população mineira”, afirmou.

Cássio já havia defendido o funcionamento de academias na última reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Fura-filas, (09/06), quando questionou o Secretário de Saúde Fábio Baccheretti sobre a abertura de bares e restaurantes e a não abertura desses estabelecimentos. No mesmo dia, a Secretária e os órgãos de enfrentamento permitiram a reabertura de academias e espaços para a população praticar exercícios físicos.

O Projeto apresentado pelo parlamentar já está em tramitação na Assembleia de Minas.

 

O que dizem os especialistas

            Um estudo recente publicado na Revista Brasileira de Cardiologia (2020) garante que é fundamental incentivar a manutenção de uma rotina de vida fisicamente ativa por parte da população como uma medida preventiva para a saúde, especialmente durante esse período de enfrentamento contra a disseminação do vírus.

“Em um período de reclusão domiciliar a população tende a adotar uma rotina sedentária, o que favoreceria a um aumento no ganho de peso corporal e surgimento de comorbidades associadas a maior risco cardiovascular, como obesidade, aumento da pressão arterial, intolerância à glicose, bem como transtornos psicossociais como ansiedade e depressão”, afirma os autores do artigo Vida Fisicamente Ativa como Medida de Enfrentamento ao COVID-19.

Na publicação, é afirmado que as recomendações da OMS para indivíduos saudáveis e assintomáticos são de, no mínimo, 150 minutos de atividade física por semana para adultos e 300 minutos de atividade física por semana para crianças e adolescentes.

(ASCOM)

Notícias Recentes