Muzambinho, 22 de maio de 2024

Estado estabelece parceria para preservação e conservação da Mata Atlântica

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

O Governo de Minas Gerais deu mais um passo para a conservação e preservação do bioma Mata Atlântica no Estado. Na quarta-feira (9/6), a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e a Fundação SOS Mata Atlântica assinaram Protocolo de Intenções para criação de estratégias e ações conjuntas com foco na conservação e restauração ecológica de áreas de mata atlântica em Minas.

O Estado possui 46% de sua área com vegetação coberta pelo bioma e, atualmente, o remanescente da vegetação nativa é 41% da área de mata atlântica no Estado. O documento assinado hoje tem ainda como meta do protocolo é a elaboração e instrumentalização do Plano de Proteção e Conservação da Mata Atlântica dos municípios mineiros. Assinaram o protocolo a secretária Marília Melo, o diretor-geral do IEF, Antônio Malard, e o diretor da SOS Mata Atlântica, Mário Mantovani.

A assinatura ocorre em um momento em que o Estado registra queda nos índices de desmatamento em área de Mata Atlântica. O recuo foi comprovado no Atlas da Mata Atlântica, realizado pela Fundação SOS Mata Atlântica em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e reforçado pelos dados do programa de Monitoramento Contínuo da Cobertura Vegetal desenvolvido pelo IEF, em parceria com a Semad e a Polícia Militar de Minas Gerais.

Os registros apresentados pelo atlas da SOS Mata Atlântica apontam para uma redução de 3%, entre 2019 e 2020. Em 2019, o relatório apontou 4.972 hectares desmatados, contra 4.701 em 2020. Já os dados extraídos do Monitoramento Contínuo da Cobertura Vegetal no Estado mostram que, no período 2018/2019 foi registrado supressão de vegetação de 4.730,17 hectares, enquanto no período 2019/2020 se registrou a supressão de 3.871,4 hectares, resultando em uma redução de desmatamento de cerca de 900 hectares no bioma em Minas.

Além disso, segundo o estudo, em 2020 o índice de desmatamento no Estado foi o menor desde 2016, corroborando com tendência de queda também refletida pela SOS Mata Atlântica. “O protocolo tem foco na preservação do bioma em Minas Gerais. Pretendemos estabelecer ações conjuntas para elaboração dos Planos Municipais de Proteção e Conservação da Mata Atlântica nos municípios mineiros inseridos no bioma para garantirmos a manutenção da redução do desmatamento”, avaliou a secretária Marília Melo.

Ação conjunta
O diretor-geral do IEF, Antônio Malard, destacou que, historicamente, o órgão tem dedicado esforços na realização de atividades que previnem o desmatamento, não só no bioma Mata Atlântica, mas também em áreas de Cerrado e da Caatinga. “Essa parceria visa nos ajudar, ainda mais, no combate à supressão irregular. Minas Gerais já vem reduzindo o desmatamento frente a uma série de ações e, agora, conseguimos um grande aliado para executar ações de recuperação no bioma e apoio aos municípios nas atividades locais’, ponderou.

Malard ainda destacou que está aberta, desde 25 de maio, consulta pública para que a sociedade participe da revisão do Plano Estadual de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica. Diretor da SOS Mata Atlântica, Mário Montalvani elogiou o trabalho feito no Estado para a gestão ambiental de áreas florestais nativas e plantadas.

Montalvani ainda lembrou a adesão do Estado à campanha Race To Zero, oficializada também nesta quarta-feira (09/06), é mais uma medida para fortalecer o acordo firmado em favor da Mata Atlântica. “É um compromisso que o Estado assume com a SOS Mata Atlântica, com o setor produtivo, mas principalmente com a sociedade e com a natureza, envolvendo também os municípios inseridos no bioma. É muito bom participar deste momento estabelecendo essa parceria”, destacou.

 

Race To Zero
O governador Romeu Zema e o embaixador do Reino Unido no Brasil, Peter Wilson, formalizaram a adesão ao Race to Zero (Corrida para o Zero) nesta quarta-feira (9/6), em evento na Cidade Administrativa. Com isso, Minas Gerais se tornou o primeiro Estado da América Latina e do Caribe a aderir à campanha.

 

O Race to Zero é uma campanha global para reunir lideranças com objetivo de alcançar emissões líquidas zero de gases de efeito estufa até 2050, o que deverá limitar o aumento da temperatura global a 1,5 grau. A meta será alcançada por meio da intensificação de ações de descarbonização, da atração de investimentos para negócios sustentáveis e para a criação de empregos verdes. Desta maneira, será possível viabilizar um cenário de desenvolvimento socioeconômico inclusivo e sustentável. Atualmente, cerca de 30 diferentes regiões no mundo participam da campanha.

Participaram também da assinatura, a secretária Marília Melo, os secretários de Estado de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, e de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Valentini; o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Flávio Roscoe; e o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Roberto Simões. O presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), Renato Brandão e outras autoridades das agendas ambiental e econômica de Minas também estiveram presentes.

(ASCOM)

Notícias Recentes