Muzambinho, 22 de maio de 2024

Greve dos caminhoneiros: Não há mais mobilização nos trevos de acesso a Guaxupé

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Movimento começou ontem no final da tarde, mas terminou por volta das 20 horas

 

A paralisação dos caminhoneiros em Guaxupé, iniciada nesta quarta-feira, 8 de setembro, na MG 450, que liga o Município à cidade de Tapiratiba, durou apenas algumas horas. Apesar de, inicialmente, os organizadores terem garantido que o movimento prosperaria, a mobilização terminou por volta das 20 horas de ontem.

Os manifestantes iniciaram as abordagens a veículos pesados por volta das 17 horas, nas proximidades do trevo que liga o Anel Viário à Rodovia Jamil Nasser. No local, o objetivo era parar todos os caminhões e carretas, independentemente de suas cargas. “É pra parar. Caminho de carga não é pra passar e esse movimento começou em Brasília. Já perto de nós, parou Varginha e todos por aqui”, disse o caminhoneiro Adilson, com quem o Jornal JOGO SÉRIO falou ainda no início do movimento.
Porém, após as primeiras horas, o comandante da 79ª Cia. PMMG, capitão Salgado, compareceu ao local com uma equipe de patrulheiros e pediu a liberação àqueles que não concordavam com a greve: “A manifestação é direito de qualquer cidadão, previsto na Constituição. Contudo, não podem impedir quem quiser seguir viagem. Então, quem quiser ficar de maneira ordeira, terá apoio da Polícia Militar quanto à segurança, mas não podem obrigar quem não quer participar”, explicou o militar, cujo pedido foi atendido e boa parte dos motoristas deixou o local naquele momento.
Por volta das 20 horas, conforme apurado pelo Jornal, já havia uma minoria de resistentes, os quais também optaram pelo fim da paralisação. Na manhã de hoje, o repórter Carlos Alberto retornou à MG 450 e foi também ao Trevo do Japy, que liga Guaxupé às cidades de Juruaia, São Pedro da União e Guaranésia. No local, não há nenhum sinal de paralisação.

Ainda sobre o tema, o próprio presidente Jair Messias Bolsonaro divulgou áudio com pedidos pela liberação das estradas. “Fala pros caminhoneiros aí que são nossos aliados, mas esse bloqueios atrapalham nossa economia. Isso vem… provoca desabastecimento, inflação e prejudica a todos, especialmente os mais pobres. Então, dá um toque nos caras, se for possível, pra liberar, tá ok? Pra gente seguir a normalidade”, solicitou o governante, cujo pedido tem sido atendido pela categoria, a qual vai desarticulando os movimentos grevistas pelo País.

 

(Jogo Sério)

Notícias Recentes