Muzambinho, 22 de maio de 2024

Início da colheita do café exige experiência e faz diferença na hora da comercialização

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

A colheita de café deve acontecer quando os frutos atingem seu estado de maturação fisiológico (cereja). A principal evidência da maturação é a mudança da cor da casca. No café, ela transita do verde para vermelho ou amarelo, de acordo com a variedade, explica Wilson Passos, técnico agrícola. Para que a bebida tenha um melhor aproveitamento o ideal é não iniciar a colheita com pelo menos dez por cento de cafés verdes. Mais que essa porcentagem, compromete a qualidade do produto a ser comercializado, diz Passos.
Na propriedade do cafeicultor Sérgio Henrique Santos, a colheita ainda não começou “a estiagem afetou as floradas e com isso agora os frutos estão amadurecendo em momentos diferentes. Precisamos tem uma maturação mais igual para podermos iniciar. Este ano vamos fazer a maior parte da colheita de forma mecanizada”, falou o cafeicultor.
Já para Suzana Santos , o foco são os cafeis especiais. “Com a marca própria de cafés especiais, respeitar o tempo da maturação dos frutos para começar a colheita ajuda a manter o padrão de nuances que os clientes estão acostumados”, conta. E continua : “como temos um consumidor que já esta habituado a docilidade e as nuances de amêndoas, o cuidado com a retirada dos frutos do pé faz muita diferença na xícara”, disse ao mostrar os talhões de cafés que vão ser industrializados.

EXPERIÊNCIA – Com mais de 60 anos como cafeicultor, Armando Santos (foto) tem a sabedoria da experiência: “Hoje sou um consultor dos meus filhos. Ao longo dos anos fui orientando e passando os meus conhecimentos. Fiz a sucessão nas lavouras de forma lenta e gradativa, como é o trabalho da natureza. Com cautela e contas na ponta do lápis, vejo que agora o preço da saca esta justo. Mas é preciso saber colher na hora certa para ter uma boa bebida e ter o café valorizado na comercialização,” ensina o patriarca da família.

(COLABOROU: VALÉRIA VILELA)

Notícias Recentes