Muzambinho, 22 de maio de 2024

Jovem de Muzambinho apontado por Isaquias Queiroz como sucessor quer vaga nas Olimpíadas de Paris

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

De Muzambinho, Gabriel Lima Martins (18 anos) treina no Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Canoagem; medalhista de ouro em Tóquio coloca o jovem como sucessor

 

A canoagem do Brasil ganhou ainda mais evidência com a medalha de ouro de Isaquias Queiroz nas Olimpíadas de Tóquio. O futuro do esporte é promissor com o campeão olímpico na ativa, mas há um jovem apontado por ele mesmo como seu sucessor: Gabriel Lima Martins.

Aos 18 anos e natural de Muzambinho (MG), Gabriel faz parte da Seleção Brasileira Júnior e treina no Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Canoagem, em Capitólio (MG). Ele foi campeão da última seletiva nacional em junho, em Lagoa Santa. O tempo dele foi quatro minutos e 12 segundos, apenas oito segundos mais lento que os 4m04s408 de Isaquias na final dos Jogos Olímpicos.

– [Meu sonho é] tentar a classificação para as próximas olimpíadas. Em setembro vai ter o Campeonato Brasileiro, em Cascavel (PR) e eu pretendo ganhar. Dar meu melhor e ganhar. Pretendo dar muito orgulho para Minas Gerais e Muzambinho nos próximos anos – disse Gabriel em entrevista à EPTV, afiliada Rede Globo.

Para conquistar esse objetivo, o jovem tem não só o apoio, mas é colocado como aposta brasileira para a canoagem pelo próprio Isaquias Queiroz.

– Tem um atleta muito bom, que é de Muzambinho. Ele é um moleque muito novo, tem muita garra, evoluiu bastante. Acho que ele vai vir para um dia me substituir. Mas até lá ele vai ter trabalho comigo quando chegar na sênior, categoria principal – disse Isaquias.

Feliz com o elogio e por ser apontado como sucessor, Gabriel sabe da dificuldade que será, um dia, tentar vencer o brasileiro medalhista de ouro no Japão. O jovem de Muzambinho, no entanto, credita a Isaquias o crescimento do esporte no Brasil.

– Para ganhar dele tem que treinar muito ainda, daqui a muito tempo. Foi muito gratificante, porque a canoagem vem ganhando espaço cada vez mais. E a gente que está aqui sabe que é muito difícil, às vezes não tinha muito incentivo. Mas, através desse resultado [ouro olímpico], tenho certeza que vai aparecer mais oportunidades para atletas da base e da categoria principal – falou.

Começo na canoagem e seleção
Gabriel relembra que o início no esporte começou há seis anos e por insistência dos amigos. Conforme ele conta, todos chamavam ele para praticar canoagem, mas ele não aceitava por conta de o esporte ser pouco conhecido.

A curiosidade, no entanto, o fez começar na modalidade e começou a ver que poderia ter futuro no esporte quando passou a ganhar dos amigos. Com as vitórias, veio o convite para a Seleção Brasileira de Canoagem.

– Eu fui indicado através dos resultados que eu tive no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil. Eu ganhei dos meus parceiros. Eu era o melhor da época, ai eles me chamaram – disse.

 

(G1 Sul de Minas)

Notícias Recentes