Muzambinho, 23 de maio de 2024

Minas mantém saldo positivo na geração de empregos formais em todos os setores

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Segundo Caged, o estado registrou abertura de 32 mil novos postos de trabalho em maio, mais que o dobro do mês anterior

O saldo de empregos formais no estado de Minas Gerais permanece positivo em todos os setores da economia, de acordo com dados divulgados na quinta-feira (1/7) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Foram 32.009 postos de trabalhos formais abertos em maio, resultado de 166.936 admissões e 134.927 desligamentos.

Os números positivos mais que dobraram, se comparados com abril deste ano, quando foram abertos 13.670 postos. O resultado também revela que o saldo foi maior que o registrado no mesmo período no ano passado, marcado pela alta de demissões, motivadas pelo cenário de incertezas provocado pela pandemia de covid-19. Na época, foram fechados 38.559 postos de trabalho.

O setor que mais contratou permanece o de Serviços. Foram 63.987 contratações e 52.741 desligamentos, e saldo de 11.246 vagas. O setor da Indústria, segundo com melhor desempenho, registrou 29.114 contratados e 22.586 demitidos, e saldo de 6.528 posições. O Comércio figura em terceiro no ranking, com 37.869 admissões e 31.601 demissões, e saldo de 6.268 postos de trabalho. 

Em seguida, aparecem Construção, com 26.044 contratações, 21.101 demissões e saldo de 4.943 vagas, e Agropecuária, com 9.922 admitidos e 6.898 demitidos. O saldo foi de 3.024 postos.

Segundo a diretora de Monitoramento e Articulação de Oportunidade de Trabalho da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Amanda Siqueira Carvalho,  mesmo no contexto de pandemia, o mercado de trabalho formal em Minas tem se mostrado resiliente. 

“Houve criação líquida de vagas desde o início deste ano, resultado do aumento das contratações e redução dos desligamentos. Também é importante destacar que no mês de maio os setores mais afetados pela crise, como Serviços e Comércio, registraram desempenho positivo, principalmente com a geração de postos de trabalho em atividades administrativas e no comércio varejista”, analisa Amanda Carvalho.

No acumulado de janeiro a maio, o saldo foi 153.143 novas vagas de emprego no estado. No ranking nacional, assim como nos meses anteriores, Minas Gerais permaneceu em 2º lugar – ficando atrás de São Paulo – que registrou abertura de 104.707 postos.

(Agência Minas)

Notícias Recentes