Muzambinho, 17 de junho de 2024

Operação Tabernus: ação para desarticular grupos criminosos responsáveis por corrupção e tráfico de drogas em unidades prisionais cumpre mandados em MG e RJ

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Será concedida entrevista coletiva hoje, 11 de junho, às 10h, na avenida Rio Branco, 2.390, sala 1.306, Centro, Juiz de Fora

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) deflagrou na manhã de hoje, 11 de junho, a operação Tabernus, que tem como objetivo desarticular grupos criminosos responsáveis por corrupção e tráfico de drogas dentro das unidades prisionais. A ação foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Juiz de Fora de forma articulada com as Polícias Penal, Civil, Militar e Rodoviária Federal.

Juiz de Fora - operacao Tabernus _3_.jpeg

Estão sendo cumpridos 27 mandados de prisão, 36 mandados de busca e apreensão, mandados de sequestro de veículos e mandados de indisponibilidade financeira no importe de R$ 13.362.960,80. Os mandados estão sendo cumpridos em oito cidades, nos estados de Minas Gerais (Juiz de Fora, Cataguases e Goianá) e do Rio de Janeiro (capital, São Gonçalo, Angra dos Reis, Mangaratiba e Três Rios).

Juiz de Fora - operacao Tabernus _2_.jpeg

As atividades criminosas investigadas consistem em corrupção ativa e passiva, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro envolvendo crimes praticados dentro das unidades prisionais por agentes de segurança pública, servidores administrativos das unidades prisionais, traficantes de drogas, presos e pessoas com vínculos familiares e sociais com esses grupos. A articulação desse grupo criminoso permite a entrada de drogas, equipamentos de comunicação e objetos ilícitos para dentro de unidades prisionais, onde são comercializados de maneira ilícita por valores muito superiores aos negociados extramuros.

Juiz de Fora - operacao Tabernus _1_.jpeg

Além de aproximadamente 300 policiais das forças de segurança pública, a operação conta o apoio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais (Sejusp), de agentes e servidores do Gaeco-RJ, da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do MPRJ, agentes e servidores dos Gaecos de Juiz de Fora e Visconde do Rio Branco e promotores de Justiça.

Tabernus, em latim, significa bota, maneira como os policiais penais são denominados na massa carcerária.

Fonte: Ministério Publico MG

Notícias Recentes