Muzambinho, 22 de maio de 2024

Pesquisa comprova suspensão do coronavírus no ar em ambientes fechados e importância da ventilação

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Uma pesquisa do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN), instituição vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia e Inovações e com unidade em Belo Horizonte, comprovou a presença do coronavírus suspesno no ar por período até quatro horas. O estudo, divulgado nesta sexta-feira (12), liga o alerta para a necessidade de ampliação dos protocolos de combate à transmissão da Covid-19: além do álcool em gel e máscara, os espaços precisam ter ventilação natural ou mecânica para evitar o contágio.

O foco da pesquisa, iniciada em maio do ano passado e com coletas de material feitas em dois hospitais e espaços públicos de BH, está na ‘caminhada’ feita pelos aerossóis atmosféricos no ar logo após serem gerados pelo emissor. Os aerossóis são partículas microscópicas invisíveis com baixo peso e baixa massa. Eles são muito menores do que as gotículas de saliva, que podem ser vistas a olho nu.

 

(Anderson Rocha e Luiz Augusto Barros – Hoje em Dia)

Notícias Recentes