Muzambinho, 12 de julho de 2024

Pilates na Gestação

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Você sabia que o Pilates durante a gravidez é muito recomendado, sendo uma das atividades mais procuradas pelas gestantes?

São muitos os benefícios que o Método Pilates trás para gestação:

A prática de Pilates beneficia a futura mamãe, ajudando a manter uma boa postura. E consequentemente fortalece o cinturão abdominal, contribui e dá força aos músculos mais profundos como o transverso e o psoas;
A prática do Método reduz as dores gerais em todo o corpo e melhora a postura;
A gestante que pratica Pilates melhora a qualidade do sono, o que consequentemente aumenta a energia diária;
Ao fortalecer os músculos pélvicos, o parto em si, é facilitado pois a futura mamãe aprende a controlar a zona pélvica;
Com certeza há um aumento na resistência física, alcançando maior agilidade e controle do peso, que se ganha devido a situação;
Aprende-se a respirar melhor, de maneira profunda e controlada;
A prática de qualquer exercício melhora a circulação sanguínea, mas especialmente o Pilates se cria uma ‘irrigação’ de sangue balanceado e equilibrado por todo o corpo ao praticar as diversas posições;
Bom-humor! Fazer exercícios de Pilates como alongamentos e movimentos de relaxamento farão com que a mulher fique relaxada, aliviada e se sinta mais feliz;
A convivência com outras mulheres grávidas. Essa interação é maravilhosa, já que elas podem se comparar com a vida de outras gestantes, se sentindo mais seguras.
A prática de Pilates na gravidez, juntamente com os exercícios, lhe proporcionarão uma rápida recuperação pós-natal e consequentemente chegar ao seu corpo em menos tempo.
A gravidez é um evento muito significativo na vida de uma mulher e é durante este período que vivenciamos mudanças nos sistemas esquelético, circulatório e reprodutivo. Apesar de mudanças fisiológicas, como alterações posturais e flutuações hormonais serem naturais, algumas delas, como o ganho de peso, podem acabar acarretando problemas no sistema musculoesquelético.

Muitos estudos comprovam os diversos benefícios da atividade física durante a gravidez.Por ser uma fase muito importante na vida da mulher, este deve ser um momento de atenção e cuidados, especialmente com relação à saúde do parto.

Em geral, os desconfortos associados ao início da gestação, como náuseas e mal-estar, passam após o 1°trimestre.

Os problemas no sistema músculo-esquelético que é uma queixa principal comum das gestantes é a lombalgia, que pode ser causada em decorrência da excreção do hormônio relaxina, pela placenta, que tem como função o relaxamento dos ligamentos pélvicos e ligamentos da coluna, podendo desencadear uma dor lombar.

A incapacidade de estabilização da coluna vertebral causada pelo desequilíbrio entre a função dos músculos extensores e flexores do tronco presentes na gestação é um forte indício do desenvolvimento de lombalgia. 

Portanto, o fortalecimento de toda a cadeia muscular pertencente a esse “arcabouço” pode respaldar o tratamento e a prevenção desse tipo de distúrbio tão comum na gestação, além de preparar as gestantes para as mudanças biomecânicas presentes nessa fase. 

A prática do Método Pilates se popularizou entre as gestantes por ser um exercício com  objetivo de alcançar a harmonia muscular, fortalecendo e lhes dando elasticidade, combinando a estabilização do tronco e da pélvis, coordenação, propriocepção e melhora da postura, por meio de exercícios de baixo impacto, alongamentos globais e treino de força, que se alinham ao controle da respiração, ao fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico e do transverso abdominal.

Relacionado diretamente com a gravidez, o Método Pilates tem como objetivo a diminuição da dor, esforço na hora do parto e melhora da qualidade de vida.

A respiração é um dos grandes benefícios do Pilates para gestantes, aprender a respirar de maneira profunda e controlada facilita a oxigenação do bebê. 

Além disso, a respiração consciente é indicada para a hora das contrações e até mesmo no momento do parto. A melhora dos padrões respiratórios diminui a ansiedade, a sensação de cansaço, ativa músculos abdominais e melhora a consciência corporal. 

As diretrizes mais atuais da ACOG (Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia) sobre exercícios na gravidez, indicam que o exercício deve ser iniciado no primeiro trimestre, antes de 12 semanas.

Mesmo assim é importante se atentar que cada período da gestação trás mudanças diferentes, sendo assim as aulas precisam ser planejadas para cada fase.

Primeiro trimestre: a gestante tem muitos sintomas, além do peso, aumento das mamas e vontade de urinar;
Segundo trimestre: o centro de gravidade começa a se deslocar para frente com o aumento da barriga e, consequentemente a lordose aumenta e pode vir a ocasionar dores nas costas;
Terceiro trimestre: os sintomas se intensificam e pode acontecer uma dificuldade para respirar, pela localização do bebê perto das costelas. A mulher começa a ficar mais cansada e o centro de gravidade desloca ainda mais para frente. Além disso, os ligamentos da pelve ficam distendidos.
Porém são necessários alguns cuidados durante a prática, antes de iniciar qualquer atividade física, durante a gravidez, é necessário a liberação médica. 

 O alongamento em grandes amplitudes deve ser trabalhado com muito cuidado, lembrando que nenhum exercício é proibido. Há apenas alguns que não são recomendados.

Garantir cuidados pré natais também proporciona uma recuperação pós natal mais rápida. Através do autoconhecimento e da prática de exercícios, fica muito mais fácil para as gravidinhas a recuperação do seu corpo antes do bebê.

Procure sempre um profissional qualificado e esteja sempre atenta aos sinais do seu corpo, qualquer duvida comunique o profissional e o seu médico.

E aos futuros papais incentivem a prática da atividade, como mostramos os benefícios são muitos.

Dra.Renata Gonçalves –  Fisioterapeuta

Notícias Recentes