Muzambinho, 11 de abril de 2024

Prefeitura de Muzambinho intensifica ações para reduzir risco de transmissão da dengue

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Os agentes da Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Muzambinho realizaram no final da tarde de quarta-feira, 21, ação para pulverizar inseticida em parte das ruas do bairro urbano Jardim Itália. “O objetivo é diminuir a população adulta de mosquitos Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika”, explica o agente Paulo.
De acordo com o prefeito Paulinho Magalhães “a pulverização foi necessária devido a um morador que teve confirmação da doença, quando o vírus circula no sangue. As ações de pulverização são chamadas bloqueio de transmissão porque impedem a transmissão viral. O paciente, na viremia, se for picado por uma fêmea do mosquito, passará o vírus para o inseto. Estamos atentos, temos equipes permanentes que fazem as visitas nas residências o ano todo e pedimos a população que fique atenta aos mutirões de limpeza dos bairros”, pediu o prefeito.
“Uma vez infectada, a fêmea pode transmitir o vírus por toda a sua vida, que dura em média 30 dias”, explica Paulo, da Diretoria da Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria Municipal de Saúde responsável pela coordenação do trabalho.

 

Sintomas – Moradores da região pulverizada devem ficar atentos a sintomas compatíveis com a dengue. Entre eles, febre com duração máxima de sete dias, acompanhada de pelo menos dois dos seguintes sintomas: manchas vermelhas no corpo, dor de cabeça, dores musculares ou nas articulações, dor atrás dos olhos, náuseas, vômitos, vermelhidão nos olhos ou diminuição dos leucócitos (detectado em exame de sangue). Em caso de observação desse quadro clínico, a recomendação é buscar atendimento médico, referindo local com confirmação recente de caso da doença.

 

Prevenção – “Como as temperaturas estão mais elevadas e com período de férias e de viagens, é importante reforçar as ações para evitar a proliferação do mosquito como eliminar água parada em pátios, calhas, ralos, além de descarte de resíduos que possam acumular água”, solicita o profissional.
“É muito importante ficar atentos para qualquer objeto que possa acumular água neste momento, pois uma limpeza correta resulta na retirada de ovos e larvas do mosquito nos recipientes”, destaca Paulo.
Como há cidades na região que estão com índices altos de contaminação, as pessoas que viajarem para locais com transmissão viral de dengue, chikungunya e zika devem adotar medidas de proteção individual, como uso de repelentes, incluindo as gestantes.

 

Ações de bloqueio – Operações de bloqueio não podem ser solicitadas pela população. O serviço é feito somente após a confirmação de casos de dengue e avaliação da equipe técnica da Vigilância Epidemiológica.

(colaborou: Valéria Vilela)

Notícias Recentes