Muzambinho, 22 de maio de 2024

Quase 500 cidades mineiras não registraram óbitos por Covid há 14 dias

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

MOTIVO – O avanço da vacinação contra o coronavírus por faixa etária explica a queda nas notificações em Minas

Mais da metade dos 853 municípios de Minas não registram morte por Covid há duas semanas. A interrupção dos óbitos é consequência direta da campanha de vacinação, que protegeu com a primeira dose quase 10 milhões de pessoas no Estado. Mesmo assim, ainda não há espaço para relaxamento.

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde, 494 cidades (57,9%), como Bonfim, na região Central, Mário Campos, Raposos, Rio Acima e Taquaraçu de Minas, na Grande BH, estão sem vítimas do coronavírus há 14 dias. De uma semana para cá, o número é ainda maior: 627 – ou 73,5% do território mineiro. 

O secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, reforça que o cenário é reflexo da imunização, que atingiu, em julho, o melhor ritmo de aplicação, com mais de 230 mil mineiros protegidos por dia. Ao todo, o governo estadual recebeu, neste mês, quase 3,5 milhões de unidades dos produtos. “A tendência é a de que no mês que vem, com a expectativa de receber mais de 6 milhões de doses, a gente bata novo recorde”, afirmou.

Outro índice que apresentou melhora foi a taxa de incidência do vírus, que caiu 9% em uma semana, possibilitando o avanço de quatro regiões para a Onda Verde do Minas Consciente (Centro-Sul, Jequitinhonha, Norte e Oeste). Duas regionais seguem na faixa vermelha, a mais restritiva do programa estadual (Nordeste e Triângulo do Sul).

As solicitações de internação pela doença também regrediram, com queda de 29,6% nos últimos sete dias. Atualmente, 34 pacientes aguardam uma vaga em terapias intensivas para tratamento, número pelo menos seis vezes menor em comparação ao início de junho.

Apesar dos bons resultados no enfrentamento da pandemia, a população precisa manter as medidas de prevenção. Conforme mostrou o Hoje em Dia, 76% dos 50 mil óbitos por Covid foram registrados neste ano. “Agora é a hora avançar na vacinação para superarmos esse momento”, completou o titular da pasta.

A segunda dose é muito importante para que esses números sejam ainda melhores nas próximas semanas. Além disso, ela pode evitar a variante Delta, que é mais transmissível.

“Procure o serviço de saúde no momento adequado para fazer o uso da segunda dose. Apenas com 80% da população vacinada poderemos ficar livres da pandemia”, avaliou o infectologista Unaí Tupinambás, membro do Comitê de Enfrentamento à Covid de Belo Horizonte.

 

(Luiz Augusto Barros – Hoje em Dia)

Notícias Recentes