Muzambinho, 9 de maio de 2024

Rodrigo Pacheco diz que programa de renda mínima não vai quebrar o país

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (Democratas-MG), afirmou, na quarta-feira (2), que enquanto não houver ambiente propício de geração de emprego e renda no Brasil, é necessária a implantação, com urgência, de um programa social que amplie o Bolsa Família e dê continuidade ao auxílio emergencial, para alcançar um número maior de brasileiros, em razão do agravamento da crise econômica e social  causada pela pandemia da Covid-19.

Em entrevista ao programa Cidinha Livre, da Super Rádio Tupi, do Rio de Janeiro, o senador mineiro ressaltou que prestar assistência financeira às pessoas de baixa renda não vai inviabilizar o orçamento federal, mas garantir comida na mesa daqueles que mais precisam, principalmente num momento de crise sanitária. Pacheco destacou ainda que a criação desse programa de renda mínima tem sido estudada pelo Congresso Nacional, no âmbito da proposta da reforma tributária.

“E, repito, o grande programa nacional será o de investimentos em infraestrutura, em construção civil e moradia para pessoas de baixa renda. Em criar um ambiente propício para os setores de serviços e indústria se desenvolverem e de focar no agronegócio e nas atividades de mineração. São esses investimentos que vão permitir a criação de trabalho e de emprego. A partir do momento em que houver essa evolução, nós temos tranquilamente uma arrecadação suficiente para cuidar daquilo que é o mais básico, a assistência às pessoas mais pobres. Não é isso que vai quebrar o Brasil, não é esse o problema do orçamento, até porque sobra dinheiro para uma série de outras coisas, basta ter prioridade”, frisou Rodrigo Pacheco.

(ASCOM)

Notícias Recentes