Muzambinho, 12 de julho de 2024

Senado aprova projeto que isenta de imposto de renda quem ganha até dois salários mínimos

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), conduziu, na quarta-feira (17), sessão na qual foi aprovado o projeto de lei que isenta do pagamento de Imposto de Renda quem ganha até dois salários mínimos por mês. O PL 81/2024 prevê uma faixa de isenção que passará de R$ 2.112 para R$ 2.259,20. A matéria vai à sanção.

A desobrigação do pagamento de IR a essa faixa está assegurada em razão do desconto de R$ 564,80 estabelecido pelo governo para fixar a isenção em dois salários mínimos. Somados, os valores atingem o montante de R$ 2.824. A nova tabela já está em vigor desde fevereiro, quando a Medida Provisória (MP) 1.206/2024 foi editada pelo governo federal, que trata do mesmo tema. Com a aprovação do projeto de lei a MP é revogada. De autoria da Câmara e relatoria do senador Randolfe Rodrigues (S/Partido-AP).

Aprovado ainda o projeto de lei (PL) 5.231/2023, que veda a aplicação dos recursos do Fundo Especial para Calamidades Públicas (Funcap) na recuperação de atividades econômicas situadas em áreas de preservação permanente (APP). A iniciativa visa impedir a permanência das atividades em área de risco, evitando a ocorrência de tragédias. Além disso, fica estabelecido como prioridade ações de recuperação dos solos e dos investimentos produtivos em propriedades da agricultura familiar.

A proposição altera a Lei nº 12.340, de 2010, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil e o Funcap, fundo tem por finalidade custear ações de reconstrução em áreas atingidas por desastres nos estados e municípios que tiverem a situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecidos pelo poder público competente. Uma área de preservação permanente é um local protegido nos termos da lei.

O projeto de lei, que segue à sanção, é proveniente de uma emenda, de autoria da Câmara dos Deputados, ao projeto de lei do Senado (PLS) 85/2011 – matéria apresentada pela então senadora Gleisi Hoffmann. A relatoria atual é do senador Hamilton Mourão (Republicanos-RS).

Recursos para saúde

Os senadores ainda aprovaram o projeto de lei complementar (PLP) 175/2023, que facilita a reutilização de recursos financeiros remanescentes dos fundos para o enfrentamento da pandemia da Covid-19 dos estados, Distrito Federal e municípios. A medida é relativa aos repasses realizados pelo Fundo Nacional de Saúde (FNS), do Ministério da Saúde até 2022. A realocação dos recursos deverá ser feita até o final de 2024.

A matéria dispensa os entes federados do requisito de cumprimento do objeto e compromissos previamente estabelecidos em atos normativos do Sistema Único de Saúde (SUS). Relatada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) pelo senador Weverton (PDT-MA), o projeto segue para sanção.

 

(ASCOM)

Notícias Recentes