Muzambinho, 11 de abril de 2024

Troca em café é destaque nas negociações durante a Femagri 2024

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

Considerando momento favorável, cooperados da Cooxupé travaram café na feira de negócios promovida pela cooperativa, de 20 a 22 de março, em Guaxupé
 

A 23ª edição da Femagri – Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas terminou na sexta-feira, 22 de março, com pré-balanço que supera as expectativas. A operação Barter foi destaque entre as modalidades disponíveis de negociação, isso porque o cafeicultor priorizou travar seu café durante as negociações para aquisição de maquinários e insumos.  
 

Promovida pela cooperativa cafeeira Cooxupé, a Femagri começou na quarta-feira, 20, em Guaxupé, e registrou em três dias a presença de 34.7 mil visitantes compradores e mais de 10 mil orçamentos.
 

Neste ano, a feira trabalhou o tema “Cooperativismo: construindo o futuro sustentável das gerações” e reuniu 120 expositores, que apresentaram inovações para aprimorar os processos de gestão na propriedade.
 

A busca por tecnologias e novos conhecimentos dentro das premissas da sustentabilidade e da agenda ESG chamou a atenção dos cooperados e visitantes que vieram de diferentes regiões de Minas Gerais e, também, do estado de São Paulo.
 

Além disso, a condição do mercado e as operações utilizando café como moeda de troca favoreceram as negociações no evento. Segundo o superintendente de Desenvolvimento do Cooperado da Cooxupé, José Eduardo Santos Júnior, a movimentação na trava do café, por até cinco anos, superou as expectativas da cooperativa.
 

“Os resultados da feira mostram que os cooperados estão entendendo que a tecnologia na lavoura e nas propriedades agrícolas é um caminho sem volta e que a compra em troca de café, traz segurança e não os deixam expostos às variações do mercado”, revelou o superintendente.
 

Cooperado de Botelhos/MG, José Maria Anunciação comprou uma máquina de varrição e fez a troca por café motivado pela atual conjuntura de mercado.
 

“O preço hoje tem contribuído para a trava e nos tranquiliza para as próximas safras. Se não fosse essa oportunidade, com certeza seria mais difícil fazer qualquer aquisição, principalmente por conta dos contratempos que a gente enfrenta”, diz o produtor.
 

De Ibiraci/MG, o cooperado Ronei Gomes Cintra também reconheceu as vantagens da modalidade, por conceder liberdade para o cafeicultor fazer a negociação da maneira que achar mais interessante.
 

“Agradecemos a todas famílias cooperadas, nossos colaboradores e fornecedores pelos resultados conquistados em 2024. Recebemos a presença maciça dos nossos produtores que tiveram a possibilidade de fazer suas compras e efetuar o pagamento com o seu café. O resultado foi surpreendente”, declarou o presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo.

(Ascom)

 

 

 

Notícias Recentes