Muzambinho, 22 de maio de 2024
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Só quero saber do que pode dar certo, não tenho tempo a perder. Não é o meu país, é uma sombra que pende concreta. É isso aí Titãs! Eu também gostaria de saber o que pode dar certo. Na letra dos compositores Torquato Neto e Sérgio Brito e interpretação da Banda os Titãs, é fácil saber e entender do que pode dar certo. Mas, neste nosso país, onde o errado é que é o certo, é difícil. Nada é levado a Sério. Porque sempre queremos mudar os governantes. Sai governo, entra governo e tudo continua na mesma e quando surge um sério, lutam para derrubá-lo. O que precisa mudar mesmo é o povo. Povinho danado de espertinho. Se o Brasil de hoje é um celeiro de corruptos, grande culpa é do povo. Nenhum gestor serve; é só alcançar o poder, pronto. Acabam as promessas e tudo o mais é gerido em benefícios próprios, porque qualquer governo que vier não vai servir para nada, porque o problema está em nós, no ser humano. Um país onde nos sentimos o máximo porque conseguimos um “gato” da TV a cabo do vizinho; onde alteramos a declaração do imposto de renda para pagar menos impostos, ou sonegar mesmo; onde há pouco interesse, ou não estamos “nem aí” pela ecologia; onde as pessoas jogam lixo na rua e depois reclamam do governo porque não limpa os esgotos; pedem atestado médico sem estar doente, só para faltarem ao trabalho; ainda dirigem bêbados; saqueiam veículos acidentados; viajam por conta de empresas e, se o almoço é de R$10, pedem nota fiscal de R$20; entram no ônibus e se assentam, e se aparece idoso, fingem que estão dormindo; roubam fios de cobre em vias públicas; falsificam vacinas em época de pandemia; desviam dinheiro para a saúde para compra de respiradores e tudo continua como dantes. E queremos que os políticos sejam honestos, e nós brasileiros reclamamos do quê? Como matéria prima deste país, ainda há muita coisa boa, mas falta muito, muita conscientização, educação, honestidade para que este país seja sério. A estrutura está defeituosa e o povo, que não é um detalhe, precisa, sim, mudar em tudo. Ninguém poderá fazer nada enquanto não aparecer alguém para sinalizar o caminho destinado a erradicar, primeiramente, os vícios de vida fácil já adquiridos em governantes anteriores, senão ninguém servirá para governar este país.

Fernando de Miranda Jorge

Acadêmico Correspondente da APC

Jacuí/MG – E-mail: [email protected]

 

Notícias Recentes