Muzambinho, 23 de maio de 2024

Ex-gerente de banco é preso por desviar R$ 8 milhões de cliente falecido

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
IMPRIMIR
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Três funcionários do banco montaram uma organização criminosa para fraudar transações bancárias para recebimento de vantagens indevidas das contas de clientes

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu na quinta-feira (5) um ex-gerente de uma instituição bancária suspeito de desviar R$ 8 milhões da conta de um cliente já falecido. As investigações da Delegacia de Roubos e Furtos demonstraram que o acusado, Rafael de Souza Ferreira, e outros dois gerentes do mesmo banco, montaram uma organização criminosa especializada em fraudes de transações bancárias para recebimento de vantagens indevidas das contas de clientes. O juízo da 27ª Vara Criminal da Capital expediu um mandado de prisão preventiva contra o ex-gerente.

Ao tomarem conhecimento da morte do correntista, os autores simularam o resgate do seu fundo de previdência, transferindo os valores para as contas pessoais de seus cônjuges, por meio de cheques administrativos. A fraude foi detectada pelo mecanismo de segurança da instituição bancária, que acionou a delegacia especializada, que deu início às investigações. Os policiais descobriram que os acusados compraram imóveis e veículos, sendo que Rafael Ferreira comprou uma residência de luxo na zona norte do Rio, usando para a compra, dinheiro desviado de correntistas.

De acordo com as investigações, o criminoso também foi até a casa da viúva do cliente e tentou induzi-la a assinar um documento declarando que seu falecido marido tinha o desejo de doar determinada quantia aos gerentes da instituição bancária. A mulher negou e, junto com seu advogado, foram ameaçados. Por conta disso, o ex-gerente também está sendo investigado pelo crime de coação no curso do processo. 

Todos os envolvidos foram denunciados por furto duplamente qualificado, associação criminosa e lavagem de capitais, inclusive, com pedido de sequestro de bens. Os outros dois gerentes da instituição bancária ainda não foram localizados pela polícia.

(AGÊNCIA BRASIL)

Notícias Recentes